Crianças são uma verdadeira benção! Tê-las por perto é relembrar constantemente quem fomos no passado, evocando nossas raízes.

juliana

Juliana

Aos 20 anos a noiva se tornou tia quando Juliana entrou em sua vida de forma avassaladora, sendo uma espécie de irmã caçula. Ainda que fisicamente separadas por um oceano, nada atrapalhou a relação delas que até hoje segue firme e forte. Acompanhei, ainda que de longe, fases e sempre que possível me esforcei para ir ao Brasil visitá-la, matar a saudade e lembrar como é bom ser tia!

gabriel

Gabriel e Bernardo

Ao se mudar para Portugal, a noiva se viu amparada pela prima paterna Camila que vivia também em Lisboa com o marido e também primo de coração Eduardo e seu filho Gabriel, por quem Joanna é apaixonada. Durante 1 ano e meio eles foram a referência de lar que a noiva precisava para se estabelecer na cidade das 7 colinas. Mais do que isso: permitiram que ela acompanhasse desde o primeiro dia o nascimento do filho mais novo, Bernardo, que se tornou desde bebê parte da história dos noivos que ficaram de babysitter dos meninos para que o casal pudesse ter uma vida social. Quando se mudaram para Londres o coração apertou, mas era um mal necessário e, uma boa desculpa para quando possível irem visitá-los na terra da Rainha.

cloe

Sophia e Chloe

A família paterna continuou a se fazer presente em Portugal quando o primo Márcio e sua mulher Juliana decidiram se mudar para a rua atrás dos noivos. A relação com as duas filhas – Sophia e Chloe – foi imediata. Sincera. Até porque, dizem as más línguas que a filha de Joanna e Rômulo terá o mesmo nome: Sophia, que para quem não sabe, significa em grego, sabedoria! E o que parecia amor à primeira vista e podia ser fogo de palha foi tomando uma proporção que os noivos já não sabiam mais viver sem as duas pequenas doçuras.